Você está aqui: Capa / Política / Alvaro Dias se solidariza com jornalista condenado por apontar irregularidades no TCE do Paraná
Alvaro Dias se solidariza com jornalista condenado por apontar irregularidades no TCE do Paraná

Alvaro Dias se solidariza com jornalista condenado por apontar irregularidades no TCE do Paraná

O senador Alvaro Dias manifestou, na tarde desta segunda-feira (12), sua solidariedade ao jornalista Celso Nascimento, colunista do jornal Gazeta do Povo do Paraná, que foi condenado a nove meses e dez dias de prisão após denunciar o atraso de parecer do Tribunal de Contas do Estado sobre o edital para construção do metrô em Curitiba. O jornalista, que tem mais de 70 anos, teve a pena substituída pelo pagamento de multa de dez salários mínimos, mais a suspensão de seus direitos políticos. Ele foi condenado por calúnia e difamação por apontar possível vínculo do relator do processo, Ivan Bonilha, conselheiro do TCE, com o governador do Paraná, Beto Richa.

Na Tribuna do Senado, Alvaro Dias repudiou o que considera uma violência à liberdade de imprensa. Ele defendeu sua proposta de concurso público para o cargo de conselheiro, em vez de nomeação, e ressaltou que o prejuízo diário com o atraso da obra do metrô, levantado pelo jornalista, é de mais de R$ 500 mil – uma preocupação para a Prefeitura de Curitiba.

“Obviamente não cabe qualquer punição a um jornalista que simplesmente cumpriu o seu dever e procurou resguardar o direito coletivo. A ofensa foi dizer que o conselheiro era pupilo do governador. Obviamente caberia ao senhor Ivan Bonilha também processar este senador, porque reafirmo aqui tratar-se de um serviçal do governador, de alguém que se posiciona a serviço dele e não do estado do Paraná. A termos conselheiros como Ivan Bonilha, seria melhor fechar o Tribunal de Contas do Estado”, afirmou Alvaro Dias.

O senador fez outros questionamentos sobre a condenação do jornalista da Gazeta do Povo. “Por que foi condenado o jornalista? Porque um Conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, o Sr. Bonilha, afirmou que o jornalista disse que esse Conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Paraná tinha vínculo com o Governador do Estado. O Celso Nascimento foi acusado pelo Bonilha de injúria e difamação porque o chamou de pupilo do Governador do Estado. Mais do que pupilo, ele me parece ser uma figura rastejante, a imagem do áulico, que agrada para obter vantagens”, disse.

Para Alvaro Dias, o referido conselheiro não teria chegado ao Tribunal de Contas do Paraná se houvesse concurso público para preenchimento da vaga, só mesmo por apadrinhamento político. “O concurso premia o talento, a qualificação técnica e profissional. Nesse caso, houve o apadrinhamento político, o favorecimento político, a nomeação como contrapartida à bajulação permanente. É por essa razão que o Senado Federal aprovou, já em 2008, projeto que transforma a nomeação do conselheiro do tribunal de contas em concurso público. O projeto que apresentamos e o Senado aprovou institui o concurso público para preenchimento de cargos de conselheiros dos tribunais de contas dos Estados”, concluiu o senador.

Os comentários estão fechados.

Subir ao Topo