“A grande aliança dos políticos deve ser com a sociedade”, disse senador em palestra

0
171

Em palestra sobre a conjuntura política, na noite desta segunda-feira (16/5), em Brasília, o senador Alvaro Dias disse que o Congresso deve ir ao encontro das aspirações populares, e rejeitar a política de balcão de negócios, que corrompe a política. “É um escárnio dizer que é impossível governar o Brasil sem o toma-lá-dá-cá. A enorme coalizão articulada pelo ex-presidente Lula deu no que deu. Os brasileiros estão exigindo seriedade e responsabilidade. A grande aliança dos políticos deve ser com a sociedade”, destacou.
O senador também fez, para uma grande plateia de representantes da sociedade civil, um retrospecto das denúncias feitas por ele envolvendo a Petrobras e o BNDES para mostrar que, apesar dos alertas desde 2005, nenhuma providência foi adotada pelos governos do PT: “Protocolamos 19 representações na PGR mostrando os desvios da Petrobras. Alertamos há mais de uma década sobre os empréstimos bilionários do BNDES para ditaduras corruptas mundo a fora. E Lula disse ao Juiz Sérgio Moro que não sabia de nada, subestimando a inteligência e a memória das pessoas. Infeliz da Nação que não tem uma oposição atuante, e infeliz do governo que fecha os olhos para a corrupção”.
Respondendo a questionamentos do público, o senador também defendeu uma solução urgente para a dívida pública que tem impedido o crescimento da economia brasileira e a aprovação urgente da PEC de sua autoria que acaba com o foro privilegiado: “A operação Lava Jato trouxe nitidez a esse debate. Se não acabarmos com o foro, a Lava Jato vai terminar com o gosto amargo da impunidade para as autoridades protegidas por esse guarda-chuva de privilégios. Acabar com o foro é uma exigência da sociedade para que os envolvidos em irregularidades sejam responsabilizados civil e criminalmente”.
Alvaro Dias disse ainda que, com anos de roubo ao País, a recuperação do Brasil deve ser lenta, mas que é preciso acreditar na força da pressão popular: “O rombo foi grande, mas temos que apostar em uma solução, porque o País saiu da passividade e está mudando, indo às ruas, se manifestando nas redes sociais. E nas eleições de 2018, a grande pergunta aos candidatos deve ser: ‘onde o senhor estava quando o Brasil estava sendo assaltado? ’. Porque não adianta só o discurso de marketing, ou a declaração de que não é político. Eu sou político e isso não é desonra. Desonra é ser ladrão e mentiroso”, disse o senador, que recebeu um diploma de homenagem da maçonaria. “Tivemos aqui hoje uma aula de cidadania. O senador Alvaro Dias deu o diagnóstico e o remédio. O que mostra que ele não está preocupado com as próximas eleições, mas com as próximas gerações”, disse Lucas Galdeano.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, deixe seu nome aqui

18 − 7 =