Folego curto sem reformas – Sugestão de Leitura

0
1277

No último ano e meio, o Brasil conseguiu superar uma das maiores recessões econômicas da sua história. Para 2018, o crescimento da economia deverá ser de 3% do PIB. A inflação próxima de 11%, em 2015, não será superior a 3% neste ano. A taxa de juros Selic que era de 14,25 despencou para 6,75%, ao ano. A balança comercial fechou 2017 com superávit de 67 bilhões de dólares. Algumas reformas foram feitas, como limite das despesas públicas, a trabalhista, a lei de governança das estatais e a lei do petróleo. Nem Fernando Henrique ou Lula, nos seus governos, avançaram naquelas reformas. Infelizmente a reforma previdenciária foi impedida pela força organizativa das corporações públicas dos poderes executivo, legislativo e judiciário.  Negar esses avanços somente para os que acreditam que a soma de 2 mais 2 é igual a 5. “Leia o artigo de Helio Duque na integra clicando aqui”