Para Alvaro Dias, projetos aprovados contribuem para amenizar impasse com caminhoneiros

    0
    2272

    Durante votação dos projetos que fizeram parte do acordo com caminhoneiros, na noite desta terça-feira (29/5), o líder do Podemos, senador Alvaro Dias, afirmou que a sociedade não pode pagar o preço pela incompetência do governo. Ele também voltou a discordar da política de reajustes da petroleira. E defendeu uma reforma tributária ampla, “inteligente e modernizadora”, para que a sociedade pague menos impostos

    Para Alvaro Dias, a greve poderia ter sido evitada se o governo tivesse ouvido a categoria e o próprio Congresso Nacional. Ele lembrou que há tempos os caminhoneiros reclamam do baixo valor dos fretes, do alto preço dos combustíveis e das dificuldades de pagar as prestações de financiamento de caminhões. “Certamente, nós compreendemos que esse impasse foi gerado pela incapacidade, pela incompetência, pela má vontade do governo em se antecipar aos fatos. Há anos, os caminhoneiros demonstram a sua indignação e a sua revolta com o descaso do Governo, que não tem como ouvi-los, que se recusa a ouvi-los, que se recusou, nesse tempo todo, a se entender com eles. E caminhamos para um impasse quase que irreversível, e nesta hora não há outra alternativa sem contribuir com essa medida que certamente não atende ainda às expectativas e às aspirações dos caminhoneiros brasileiros, mas é um passo adiante que o Congresso Nacional pode oferecer, contribuindo com essa votação. Por isso, o Podemos vota sim”, destacou o senador.

    Na sessão foi aprovado o projeto de lei (PLC 52/2018) que volta a onerar a folha de pagamento de diversos setores da economia, para garantir a redução de R$ 0,46 no preço do óleo diesel. O item que zera até o final do ano a cobrança de PIS/Cofins sobre o óleo diesel também foi aprovado, mas será vetado, segundo governistas.