Na véspera do Dia do Trabalho, senador alerta para o agravamento do desemprego no País

    1
    519

    O Líder do Podemos, senador Alvaro Dias, alertou da tribuna, na sessão plenária desta terça-feira (30/4), para o agravamento do quadro de desemprego e desigualdades no País: “Nós estamos vivendo no Brasil, em matéria de desemprego, uma tragédia sem precedentes. A situação se agrava de tal modo que o Governo é obrigado a adotar critérios de avaliação que ficam distantes da realidade que nós estamos vivendo”.

    O senador citou números divulgados hoje pelo IBGE, com 13 milhões de desempregados, e disse que o quadro é pior do que o mostrado pelas estatísticas oficiais: “Os números não são reais, não retratam a verdade do drama que vivem milhões de brasileiros desempregados. Com esse critério adotado pelo IBGE, um cidadão que vende algum produto no cruzamento da rua da cidade, que está lá vendendo balas durante uma hora é considerado empregado. Esse não é um critério sólido para a orientação de políticas públicas nem para mensurar a situação do emprego e do desemprego no nosso País.  A população fora da força de trabalho é de 65,3 milhões brasileiros. E a população desalentada é de 4,8 milhões. Portanto mais de 83 milhões de brasileiros estão sem oportunidade de trabalho. Em 2015 eram 71 milhões”

    Para o Líder, o número de desempregados oficialmente reconhecidos pelo Governo Federal precisa ser visto como ressalvas. “Trata-se de um universo paralelo em uma realidade alternativa. Nós temos a constatação dramática de que a força de trabalho dos brasileiros é de 167 milhões de pessoas. 167 milhões de pessoas constituem a força de trabalho e 50% dessa força de trabalho são desocupados. Não há drama maior para a família brasileira do que o desemprego. Quando saímos para as ruas ouvimos sempre que o que mais se deseja é uma oportunidade de trabalho”.

    Alvaro Dias lamentou o fato de a situação do desemprego estar mais grave entre os jovens de 18 a 24 anos, e citou dados alarmantes sobre a pobreza e a falta de saneamento básico no País. Um deles: 4 milhões de brasileiros não têm um banheiro em casa. “ Para o IBGE, o aumento da pobreza se deu pela maior deterioração do mercado de trabalho. Este é o maior desafio dos governantes. Precisamos colocar a economia brasileira para funcionar em benefício da maioria dos cidadãos. O crescimento lento e o acúmulo desenfreado de rendimento no topo da pirâmide social não estão produzindo bons resultados. Precisamos aumentar o número de empregos, melhorar a educação, investir em moradias e saneamento, e esse desafio deve ser encarado pelos governantes não como problemas, mas, sim, como oportunidades para o crescimento da economia. Daí a necessidade urgente de todas as reformas debatidas neste momento em nosso País”, disse.

    Foto Thati A.Martins

    1 COMENTÁRIO

    1. Realmente parece que esses governantes não se dão conta do problema basta sair pro interiorzão não é só nas periferia das cidades grandes não, tem muita gente passando necessidade mesmo ,chega de fica só no discurso ,o povo não quer esmola o povo quer oportunidade mesmo!

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Digite seu comentário!
    Por favor, deixe seu nome aqui