Alvaro Dias defende que nações democráticas se unam para enfraquecer Nicolás Maduro

0
356

O Líder do Podemos, senador Alvaro Dias, defendeu, nesta quinta-feira (2/5), na reunião da Comissão de Relações Exteriores do Senado (CRE), que nações democráticas se unam e façam um protesto veemente contra o regime ditatorial do presidente venezuelano Nicolás Maduro: “Isso enfraqueceria internacionalmente o presidente Maduro e forçaria o recuo do ditador. Devemos trabalhar politicamente para encontrar uma solução para a crise na Venezuela. Não há como o Brasil estabelecer um comportamento de afronta, não há como falarmos em intervenção. A solução deve ser diplomática e pacífica”, disse.

Alvaro Dias também relatou problemas na fronteira, envolvendo caminhoneiros brasileiros retidos na Venezuela, e disse acreditar que o presidente Jair Bolsonaro não celebrará mais contratos de empréstimos com ditaduras como a Maduro: “ Há quanto tempo debatemos os empréstimos oferecidos pelo governo brasileiro, por intermédio do BNDES, a países ditatoriais, nações de ditaduras sanguinárias que esmagam os seus povos na pobreza, na miséria, destruindo vidas pela prepotência, pela violência desmedida? E o nosso País aceitando, em alguns casos com empréstimos sigilosos, alimentar a sobrevivência desses regimes! Se não podemos enfraquecê-los com invasão de competência, certamente podemos evitar sustentá-los com empréstimos generosos, como os que oferecemos. Por exemplo: construção de metrô em Caracas, hidrelétrica no interior da Venezuela, milhões de dólares emprestados. E nós sabíamos: o calote era a crônica anunciada. E hoje o que se verifica é que mais de R$2,3 bilhões estão em atraso com o não pagamento de prestações vencidas, tanto por Cuba quanto pela Venezuela”.

O senador também lembrou que foi contra a entrada da Venezuela no Mercosul e que, embora governos anteriores tenham se aliado ideologicamente a Hugo Chávez e Maduro, o Brasil vive novos tempos: “O que está em jogo é a relação diplomática de um país democrático com uma nação que tem um regime ditatorial travestido de democracia, iludindo partidos políticos”.

Foto Thati A.Martins

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, deixe seu nome aqui