A vereadores, Alvaro Dias ressalta impacto negativo da corrupção para economia brasileira

0
391

A uma plateia de cerca de 300 vereadores, o senador Alvaro Dias (Podemos-PR) destacou, esta quarta-feira (22/05), o impacto negativo que a corrupção tem para a economia do país. “O Brasil perde investimentos e desperdiça oportunidades preciosas de crescimento econômico por causa da corrupção”, afirmou o líder do Podemos no Senado, na 7ª Mobilização Nacional de Vereadores em Brasília.

Alvaro Dias palestrou durante cerca de duas horas sobre o tema “Segurança Pública e Combate à Corrupção”, no auditório do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT). O evento foi promovido pela Associação Brasileira de Câmaras Municipais (Abracam). Para o parlamentar, não há como não colocar o combate à corrupção como “prioridade inegável”. “Se mudarmos a imagem do país, voltaremos a atrair recursos que daqui foram expulsos pela corrupção e pela incompetência”, pontuou.

O senador ressaltou que o Brasil ocupa a 105ª posição no ranking da Transparência Internacional, que revela o índice de percepção da corrupção no mundo. “Se tivéssemos índices de corrupção comparáveis com o da Dinamarca, teríamos uma renda per capita 70% maior do que a atual”, assinalou. Ele também citou número apresentado pelo procurador Deltan Dallagnol, da Lava Jato, ao mencionar que a corrupção retira do país mais de R$ 200 bilhões por ano.

Foro Privilegiado

O líder do Podemos defendeu a aprovação do projeto, de sua autoria, que acaba com o foro privilegiado de mais de 55 mil autoridades. A matéria depende de apenas uma votação, no plenário da Câmara dos Deputados. “A Constituição Federal diz que todos são iguais perante a lei. Porém, as autoridades gozam de privilégios que nos mantêm longe dos avanços exigidos pelas sociedades moderas”, argumentou.

O parlamentar lembrou que, em cinco anos de Operação Lava Jato, houve 285 condenações na primeira instância, que resultaram em mais de 3 mil anos de cadeia. Já no Supremo Tribunal Federal (STF), no mesmo período, houve apenas uma condenação, que somou 13 anos de prisão. “Os números são contundentes”, cravou Alvaro Dias. “Acabar com o foro privilegiado é um passo fundamental na direção de uma nova Justiça”.

O congressista defendeu também o papel do Legislativo como instrumento essencial ao Estado de direto democrático. “Não dá para jogar no colo do Congresso Nacional toda a responsabilidade por fracassos que ocorreram no mandato iniciado recentemente. Atacar o Poder legislativo é atacar a democracia”, concluiu.