Em discurso no plenário, esta sexta-feira (21/06), o senador Alvaro Dias (Podemos-PR) cobrou que o governo faça as reformas necessárias para o país e ressaltou a necessidade de o Congresso Nacional assumir um papel maior de protagonista. “O grande problema que estamos vivendo, num regime presidencialista de muito poder, é a ausência de um projeto de nação”, afirmou o parlamentar. Para o líder do Podemos, o Congresso tem que assumir uma postura de liderança na iniciativa das propostas.

“Estamos sentindo dificuldades do lado de lá (do Executivo). Então, que as iniciativas brotem aqui no Congresso Nacional. Sabemos que é sempre muito mais complexo um projeto de iniciativa parlamentar prosperar, mas certamente, se tivermos uma parceria entre os presidentes da Câmara e do Senado, alcançaremos êxito na deliberação de projetos de reformas importantes para o país, conquistando a adesão do presidente da República”, disse o senador.

Alvaro Dias destacou a necessidade de se realizar as reformas essenciais para o Brasil voltar a crescer. Segundo ele, a reforma da Previdência enviada pelo Executivo ao Congresso é necessária, mas não é suficiente. “E as outras reformas? Não podemos ficar esperando. O Brasil já esperou demais, é hora de avançarmos. E o Congresso pode sim adotar providências, assumir o necessário protagonismo e liderar esse processo de reformas”, assinalou.

Reforma tributária

O líder do Podemos classificou a reforma tributária como “a mais importante reforma do ponto de vista econômico”. “Esta reforma é, sem dúvida nenhuma, a força motora capaz de dinamizar a economia do país, aumentando produtividade e, por consequência, crescimento econômico. Uma reforma tributária inteligente oferecerá ao país uma política tributária capaz de promover desenvolvimento com distribuição de renda, porque o modelo tributário tem que ser também um instrumento de distribuição de renda”, pontuou.

O senador leu trechos de um relatório produzido pelo Instituto Fiscal Independente, que traça um cenário de aprofundamento da crise econômica vivida pelo país. Entre outros pontos, o documento aponta que a taxa de investimento da economia encontra-se no patamar mais baixo da série histórica; que a recuperação lenta da atividade ainda produz implicações sobre o mercado de trabalho; e que a projeção de PIB deste ano apresenta viés de baixa diante dos resultados do primeiro trimestre.

Indicadores econômicos

Para o parlamentar, o país está diante de uma realidade que pode se tornar ainda mais dramática e cujos indicadores econômicos estão na raiz dos problemas constituídos a partir da incompetência de governos passados. “Eu trouxe este relatório até esta tribuna para demonstrar que não é a palavra de um senador que tem que ser considerada. É a realidade dos fatos acima de tudo”, assinalou. “É hora de assumirmos responsabilidades, enfrentando a realidade, que é difícil, que é complexa e cada um cumprindo o seu dever. Vamos olhar à frente e construir o futuro da nação que todos nós merecemos”, finalizou.

Foto: Thati A. Martins

Assista a integra do discurso aqui

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, deixe seu nome aqui