Estudo da ONU desmente crescimento propalado pelo PT, diz Alvaro Dias

0
2666
  1. O senador Alvaro Dias (Podemos-PR) afirmou, em pronunciamento esta segunda-feira (08/07), que estudo da Organização das Nações Unidas (ONU) desmente o discurso petista de que durante a gestão do PT o Brasil viveu o “espetáculo do crescimento”. Ele ressaltou que, pelo estudo, o país avançou mais nas décadas de 70, 80 e 90 do que durante a era petista no governo. “Não vivemos esse utópico espetáculo do crescimento e não assistimos a essa empreitada heroica de se retirar da pobreza milhões de brasileiros. O que assistimos foi à falácia, foi à mentira, foi ao engodo”, cravou.

“Durante 15 anos, desta tribuna, procurei desmentir afirmações mistificadoras que procuravam escamotear a realidade vivida neste país. Em determinado momento, ouvíamos muito do marketing oficial petista, instalado no Palácio do Planalto, a afirmação de que estávamos vivendo o espetáculo do crescimento. E eu dizia: que espetáculo do crescimento é esse se o país cresce mais, apenas, do que o Haiti, onde mora a pobreza, a miséria, o infortúnio e a guerra?”, questionou o parlamentar.

Alvaro Dias destacou que a corrupção é uma “causa essencial” das mazelas vividas no Brasil. “Assaltaram os cofres públicos, arrombaram o caixa nacional. Obviamente, desarrumaram as finanças públicas, fragilizaram o Tesouro Nacional, debilitaram o patrimônio deste país, que foi pilhado pela sede, pelo apetite de enriquecimento ilícito de muitos daqueles que assumiram o poder e, de outro lado, em nome de um projeto de poder de longo prazo. O Brasil foi, literalmente, assaltado. E estamos vivendo as consequências desse assalto”, comentou.

Incompetência administrativa

Porém, explicou que a crise do país se deve não apenas à corrupção, mas também à incompetência dos governos anteriores. “A incompetência administrativa se consagrou de forma absoluta nos últimos mandatos no Brasil. E é a população que sofre, sofre com a violência, sofre com a ausência de qualidade, especialmente no serviço de saúde pública que é oferecido à nossa gente, levando à morte milhares de brasileiros em corredores de hospitais abarrotados, sem atendimento, e na educação, que está em retrocesso”, acrescentou o senador.

O líder do Podemos citou ainda dados oficiais atuais que comprovam as dificuldades enfrentadas pelos brasileiros. “São mais de 52 milhões de brasileiros abaixo da linha da pobreza; somos 62 milhões de brasileiros endividados; a metade dos brasileiros, mais de 100 milhões, vivem com menos de um salário mínimo, e, no Nordeste, 68% da população vive com menos de um salário mínimo; 15 milhões de brasileiros sobrevivem com até R$70 por mês; temos apenas 33 milhões de trabalhadores brasileiros com carteira assinada, para uma força de trabalho de mais de 90 milhões de pessoas; temos 100 milhões de brasileiros sem acesso ao saneamento básico; 17 milhões de brasileiros sem acesso à coleta de lixo; 35 milhões de brasileiros sem acesso à água tratada”, pontuou.

Assista a íntegra do discurso