O Líder do Podemos, senador Alvaro Dias, anunciou em plenário, nesta terça-feira (9/7), os avanços em relação à votação da PEC da reforma tributária. O senador participou, pela manhã,  de uma reunião na residência oficial da presidência do Senado, onde foi costurado o acordo com outros líderes para subscrever a proposta de reforma apresentada pelo ex-deputado Luiz Carlos Hauly. Os parlamentares do Podemos já haviam debatido o texto com Haully, na semana passada: “Levamos a proposta ao Presidente do Senado, Davi Alcolumbre, em razão da importância dessa reforma, considerando que deve ser uma reforma da instituição, uma vez que o Senado Federal é a Casa da Federação.Essa matéria deve ser prerrogativa e responsabilidade do Senado Federal, já que vai tratar de um modelo tributário que tem tudo a ver com o progresso e o desenvolvimento do País, com a sustentabilidade dos Municípios e dos Estados do ponto de vista financeiro. A proposta vai se constituir no motor do desenvolvimento, com a geração de emprego, de renda e de receita pública para a retomada do crescimento econômico do nosso País na direção da grande Nação que todos nós desejamos”, disse o senador.

Segundo Alvaro Dias, a proposta de Luiz Carlos Hauly é modernizadora e solidária, porque  “propõe um sistema progressivo de taxação, cobrando menos impostos no consumo e mais na renda e, desta forma, contribuindo para uma melhor distribuição de renda no País e, certamente, ao estimular o consumo, estimulará a produção e o comércio. Sem dúvida, a roda da economia vai girar com mais força e o Governo, com uma melhor distribuição dos encargos, com a arrecadação, que terá origem de forma competente – quem pode mais paga mais, quem pode menos paga menos –, com a simplificação do sistema”.

Na proposta de Hauly, dez impostos serão transformados em um apenas, o IVA. “Nos países mais evoluídos do mundo, nas nações do primeiro mundo, o IVA vem sendo praticado há 52 anos e nos coloca, inclusive, em desvantagem no momento de competirmos com os concorrentes na exportação, já que o nosso modelo tributário é antiquado, superado, é retrógrado e não pode competir com o modelo tributário das Nações mais avançadas. Precisamos avançar. E a modernização passa, inclusive, por um sistema eletrônico de cobrança dos impostos. Ao invés das notas fiscais e das guias para pagamento de impostos, a burocracia, que atormenta e desestimula, nós teremos um sistema eletrônico moderno, que, on-line, vai arrecadar com base na conta bancária das empresas e distribuir aquilo que compete ao Município, aquilo que compete ao Estado e à União. Nós temos certeza de que, certamente, será a alavancagem para a retomada do crescimento econômico”, justificou Alvaro Dias.

Foto Luiz Wolff

Assista a entrevista aqui

2 COMENTÁRIOS

  1. NAO É SÓ A REFORMA MAS CRIAR EMPREGOS E RENDA OQUE O BRASIL PRODUZ ? CADE OS TURISTAS? CADE OS BORDADOS AS RENDAS O ARTESANATOS … CADE O SENAI??

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, deixe seu nome aqui